Gengiva retraída: o que fazer

A retração gengival (ou gengiva retraída) se caracteriza pela perda de tecido periodontal, ou seja, pela diminuição da porção de gengiva que recobre o dente, deixando sua raiz mais exposta. Isso pode causar excesso de sensibilidade nos dentes, diante de estímulos frios, quentes ou doces.

A retração gengival pode ter cura ou pelo menos controle, dependendo das causas e da gravidade do caso.

Se a retração for causada pela escovação com excesso de força, o dentista deverá orientar o paciente sobre a forma mais adequada de higienização oral, usando escovas de dentes de cerdas mais macias, além do uso regular de fio dental.

Se a retração for provocada pelo acúmulo de tártaro, o dentista deverá fazer uma limpeza, eventualmente complementada pelo alisamento radicular. Nos casos em que há doença periodontal ou periodontite, deve ser feito o tratamento para evitar o acúmulo de bactérias devido à maior dificuldade de higienização.

A correção dos dentes mal posicionados pode ser necessária nos casos em que a retração gengival está relacionada a apinhamento dentário ou problemas de oclusão.

Em casos mais graves, pode ser necessária a cirurgia gengival, ou cirurgia plástica periodontal, tem como finalidade recobrir a porção de raiz exposta consequente da retração gengival.

É um processo normalmente lento mas progressivo. Se você nota os sintomas de gengiva retraída, procure a Dra. Anely Lopes da Odontovero, graduada pela USP-SP, onde fez mestrado e doutorado. Ela poderá fazer o diagnóstico e indicar o melhor tratamento no seu caso.

A confiança faz sorrir.